Home Podopatias
Unha encravada

 

A onicocriptose ou unha encravada é uma patologia que atinge muitas pessoas, ela ocorre quando um pedaço de unha penetra na pele, causando dor e infecção. Ela é muito confundida com a onicofose, que nada mais é do que um calo debaixo da unha, que costuma causar um grande desconforto.

 
Unha Infeccionada

A infecção ungueal (granuloma) acontece quando há um mal corte na unha ou uso de calçados indaquados. Pode ser conhecido como carne esponjosa.  O tratamento consiste na retirada da espicula ungueal com instrumentos adequados e esterilizados. Sendo depois realizado um curativo no local da infecção.

 
Calos

Os calos aparecem por diversos fatores, como calçados inadequados ou apertados, deformidades ortopédicas, modo de andar, entre outros. Eles aparecem em várias partes dos pés como no dorso dos dedos, na sola dos pés (região dos metatarsos e calcâneo) e entre os dedos.

Alguns calos possuem uma parte mais profunda chamada núcleo que causa muita dor e queimação.

 
Cravos

O cravo é um tipo de calo situado na planta do pé, aprofundado como um cone e muito doloroso. O podólogo pode auxiliar a sanar esse incômodo. O cravo não tem cura. Pode melhorar bastante com o uso de palmilhas adequadas. Sua remoção é feita de forma simples, rápida e indolor, o correto é fazer visitas regulares, de mês em mês.

Tratamento: Consiste na higienização completa dos pés onde será executada a remoção do cravo, que é efetuada com instrumentos apropriados e esterilizados.

 
Calosidades dolorosas

Muitas pessoas apresentam calosidades no pés, em grande parte dela aparece na região do calcanhar e devido ao ressecamento pode até mesmo surgir fissuras, causando dor e desconforto. A queratose plantar (calosidade) aparece por diversos fatores, por exemplo: o tipo de calçado, o formato dos pés, a forma de andar entre outros.

Veja o milagre e o conforto que os pés recebem: O antes e depois do procedimento realizado.

 
Micose de Unha (Onicomicose)

A onicomicose é uma infecção que atinge as unhas, causada por fungos.  As fontes de infecção podem ser o solo, animais, outras pessoas ou alicates e tesouras contaminados. As unhas mais comumente afetadas são as dos pés, pois o ambiente úmido, escuro e aquecido, encontrado dentro dos sapatos e tênis, favorece o seu crescimento. Além disso, a queratina, substância que forma as unhas, é o "alimento" dos fungos.

Existem várias formas de manifestação das onicomicoses. Veja abaixo alguns dos tipos mais frequentes:  

Descolamento da borda livre: A unha descola do seu leito, geralmente iniciando pelos cantos e fica ôca. Pode haver acúmulo de material sob a unha. É a forma mais frequente.

Espessamento: As unhas aumentam de espessura, ficando endurecidas e grossas. Esta forma, pode se acompanhar de dor e levar ao aspecto de "unha em telha" ou "unha de gavião".

Leuconíquia: Manchas brancas na superfície da unha.

Destruição e deformidades: A unha fica frágil, quebradiça e se quebra nas porções anteriores, ficando deformada.

Paroníquia ("unheiro"): O contorno ungueal fica inflamado, dolorido, inchado e avermelhado e, por consequência, altera a formação da unha, que cresce ondulada e com alterações da superfície.

Tratamento recomendado para cura de Onicomicose (Doença de Unha)

- Aplicação com LaserParaliza a ação do fungo, acelerando paulatinamente o crescimento da unha, no decorrer do tratamento, totalmente indolor.

 

 
Pé-de-atleta

O Pé de Atleta é uma infecção fúngica (micose) que causa vermelhidão na pele dos pés. Os fungos adoram ambientes quentes e úmidos, e os pés e suas reentrâncias entre os dedos, formam um terreno fértil para sua proliferação.
O Pé de Atleta é altamente contagioso, mas a fonte mais comum não são outras pessoas, mas o próprio ambiente. Algumas pessoas possuem uma facilidade maior – são mais suscetíveis – para desenvolver Pé de Atleta que outras. Os especialistas não sabem exatamente porque  isto ocorre. Contudo, uma vez que você tenha desenvolvido um Pé de Atleta, existe uma probabilidade maior de vir a sofrer novamente do problema no futuro.

 
Frieiras

A frieira é uma doença de pele comum, especialmente em crianças, mas pode afetar pessoas de todas a idades, assim como animais. Qualquer um exposto a pessoa ou animal infectado, ou esporos do fungo no ambiente, pode contrair frieira. O fungo que causa frieira pode se espalhar através do contato direto de pele com uma pessoa ou animal infectado. A frieira também pode se espalhar indiretamente, como pelo contato com objetos ou superfícies que pessoa ou animal infectado tocou. Em casos raros a frieira pode ser espalhada pelo contato com o solo.

 
Verrugas Plantar (Olho-de-peixe)

Popularmente conhecida como "olho-de-peixe", a verruga plantar se apresenta como um espessamento e elevação da pele dos pés, com uma região amarelada e um ou mais pontos negros centrais. É causada pelo vírus do papiloma humano HPV e deve ser tratada com um dermatologista e também com podólogos, pois frequentemente provoca dores ou incômodo ao caminhar. Devido a sua natureza infecciosa, lesões da pele podem permitir a disseminação para outras pessoas ou para outros locais no corpo da mesma pessoa.

O tratamento normalemente consiste do uso de palmilhas dotadas de zona de descarga para as áreas dolorosas (orifícios preenchidos com espumas macias) combinado com medidas físicas e químicas para a escarificação do centro da lesão.

A pele normal ao redor da verruga é protegida com vaselina líquida ou pastosa e, após a curetagem do centro da lesão, pequena quantidade de ácido é aplicada sobre a lesão. Depois de 3 a 4 minutos, o local é lavado com soro fisiológico e um curativo simples é aplicado sobre a lesão.

Esta operação é repetida uma ou duas vezes por semana e nos intervalos o paciente faz a aplicação domiciliar de soluções coloidais de salicilatos. Após três meses, a maioria dos pacientes (70%) já não apresenta infeção local. O critério utilizado para a alta é o aparecimento de textura normal da pele e a redução da hiperqueratose circundante da lesão, ao exame com lupa. Durante todo o tratamento, sugere-se o uso de roupas de banho, meias e calçados exclusivos.

O paciente deve se afastar de suas atividades em locais que favoreçam a inoculação viral de outras pessoas tais como piscinas, clubes, banheiros públicos. Por poder estar contaminado com partículas virais infectantes, tanto os calçados como as palmilhas utilizados durante o tratamento devem ser desprezados ou, no mínimo, imersos em solução de formol a 0,4% por 72 horas consecutivas.

Os tratamentos que causam grande dor, escaras ou que requerem cirurgia, fulguração ou irradiação das lesões são contra indicados, pois os riscos de complicações são maiores do que os observados na evolução natural da própria doença.

 
Rachaduras (Fissuras)

“A fissura é a mesma coisa que rachadura, sua aparência pode apresentar uma cor preta ou marrom e normalmente é uma lesão aberta”. Das podopatias (doenças nos pés) uma das que mais se destaca no sexo feminino, principalmente, é a Rachadura no Calcanhar ou Fissura Calcânea (lesões lineares ou estreitas da pele ). Essa podopatia (doença nos pés) que aparece em qualquer situação climática, seja calor ou frio.

Os pés são partes do corpo que têm suas camadas de peles com maior resistência do que em outras partes, e são mais grossas devido ao peso do corpo que recai sobre os mesmos. Os pés sustentam o corpo de maneira que podem sofrer inúmeras patologias (doenças) que devem ser tratadas com especialistas (médicos e podólogos). O aparecimento de rachaduras ocorre por varias causas: defeitos ortopédicos, hereditariedade, alterações climáticas, conseqüência de psoríase, diabetes, doenças vasculares, micoses, agressões químicas, andar descalço e uso de calçados abertos nos calcanhares (sandálias) etc.

Quando a epiderme é agredida por fatores externos (atritos com calçados) ou falta de hidratação, a mesma tem uma reação de engrossamento (acúmulo de queratose), que surge como defesa das camadas mais profundas, formando-se assim, calos ou hiperqueratose ( com ou sem fissuras ).

O pé contém 26 ossos, 2 sesamóides, 114 ligamentos e 20 músculos. Todas estas partes estão interligadas por tecidos conjuntivos, vasos sangüíneos, nervos, sendo tudo isso revestido por camadas de pele, que é um órgão que determina seus limites com o meio externo e exerce diversas funções, como: defesa e proteção contra as funções sensoriais (calor, frio, pressão, dor e tato). A pele é formada por três camadas: epiderme, derme e hipoderme, da mais externa para mais profunda, respectivamente.

 
Bolhas

Principais causas de bolhas nos pés: 

Atrito da pele com calçado, meia, sujeira, ou algum corpo  estranho.

Também existe as bolhas causadas por queimadura, seja pelo calor ou frio(neve por exemplo).

Basicamente as bolhas que um corredor ou caminhante enfrenta são causadas por atrito da pele com areia, pó ou com o próprio calçado. O importante de se lembrar sobre bolhas é : EVITE.

Para se prevenir bolhas nos pés é recomendável se escolher bem o calçado e meias, botas devem ser firmes e bem amarradas, nada de ficar  folgadas com os pés de mexendo dentro da bota quando se anda. Normalmente se usa com botas de trekking 2(duas) meias, uma fina mais próxima a pele e outra mais grossa por cima. Como modo de prevenção também é comum corredores usarem talco ou vaselina nos pés. Outras pessoas ja sabendo onde costuma ocorrer bolhas protegem a área com esparadrapo.

 
Bicho de pé

O bicho-de-pé (Tunga penetrans) é uma pulga que se aloja na pele do hospedeiro (homem ou animal), causando uma infecção caracterizada por inchaços dolorosos, localizados principalmente ao redor de onde o inseto penetrou.

Ainda que seja mais comum sob as unhas ou entre os dedos dos pés, pode-se “pegar” o bicho-de-pé em qualquer parte do corpo.

Veja o tratamento, clique aqui

 

Veja a imagem ao lado (Bicho-de-pé entre os dedos)

 
Disidrose

Disidrose é uma erupção com bolhas pequenas (vesiculante) de pés e mãos (mais nas palmas das mãos e plantas dos pés) de caráter agudo, crônico ou recidivante. As lesões acometem, exclusivamente, as mãos e os pés. Entende-se por vesículas, lesões da pele de conteúdo líquido, com até um centímetro de diâmetro. Acima de um centímetro, são chamadas de bolhas.

Quando o líquido sofre ressecamento, formam-se crostas e, quando as lesões involuem, formam-se escamas. Portanto, conforme a fase evolutiva da disidrose, será observada a presença de vesículas, crostas ou escamas.

Clinicamente observam-se bolhas pequenas (vesículas) claras, profundas, com uma área avermelhada de base, nas palmas das mãos e nas partes laterais dos dedos em 80% dos casos. Outros 10% têm envolvimento também na planta dos pés. Apenas 10% têm só envolvimento plantar.

Os surtos de lesões são de aparecimento abrupto, com sensações de calor e coceira, às vezes precedendo os ataques. Posteriormente pode haver descamação, secura e crostas. As unhas podem tornar-se distróficas (alteradas clinicamente). As lesões podem se dolorosas se houver infecção ou rachadura nos locais atingidos.

 
Psoriase

A psoríase é uma doença inflamatória da pele, benigna, crônica, relacionada à transmissão genética e que necessita de fatores desencadeantes para o seu aparecimento ou piora (principalmente no inverno). Afeta 1 a 2% da população mundial. Acomete igualmente homens e mulheres, embora o início seja mais precoce nas mulheres. Existem dois picos de idade de prevalência: antes dos 30 e após os 50 anos. E, em 15% dos casos, surge antes dos dez anos de idade.

É uma doença não contagiosa, multigênica (muitos genes envolvidos), e em parte dependente de fatores externos. Pode aparecer sob diferentes formas clínicas e diferentes graus da doença. É descrito 30% de incidência familiar.  O desencadeamento pode ocorrer em qualquer idade, motivado por influência do meio, alguns medicamentos ou estresse.